Lesões no Salto Ornamental


As lesões na fase de decolagem estão associadas ao salto, portanto o mecanismo extensor do joelho é geralmente envolvido, causando tendinite patelar ou quadriciptal, atrito patelofemoral, inflamação do calcâneo e do tendão do tibial posterior pela contração muscular excêntrica.
Pode haver carga excessiva sobre a coluna lombar se o saltador estiver em posição de hiperextensão lombar no movimento de iniciar o voo. Durante o voo, realiza-se manobras de rotação, flexão e extensão do tronco, podendo causar lesões na região da coluna (cervical, torácica ou lombar), geralmente por estiramentos musculares ou entorses ligamentares. A maioria das lesões durante o voo é causanda pela falha de técnica durante a fase de decolagem.
A fase da entrada é a que apresenta a maioria das lesões. O desafio do saltador consiste em dissipar as forças de impacto e promover a desaceleração durante a entrada na água, provocando o menor deslocamento de água para cima da superfície (splashless).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *